A ilusão da felicidade

Preâmbulo

Dedico este artigo, aos meus alunos, da Universidade Sénior de Setúbal, pelas razões que só eles conhecem.

Bem Hajam!

Procuramos todos a Felicidade: É certo!

O que é a Felicidade?

Parece-me ser um conceito muito individual, dinâmico, momentâneo, programado socialmente e muito reativo às circunstâncias. A verdade é que uns de uma forma, outros de outra, todos procuram a programada “Felicidade”. Enquanto uns colocam a tónica no valor da Saúde, outros nos bens materiais, nas relacões familiares primárias, nas relações sociais é um conceito muito variável e onde existem muitos valores padronizados relativamente ao que é ser FELIZ.

Porque pode a Felicidade ser uma ILUSÃO? Porque seguimos padrões estereotipados? Porque muitas vezes somos levados a acreditar que estamos no caminho certo e, aqui e ali, as nossas experiências levam-nos à conclusão de que, a Felicidade pode não estar no que programamos para as nossas vidas? A vida mostra-nos, muitas vezes, que o programa que temos inserido no nosso cérebro, sobre este conceito, afinal não é totalmente fidedigno.

Daniel Gilbert, Doutorado pela Universidade Princeton e Professor na Universidade de Harvard defende de forma muito clara esta ideia: “ O nosso cérebro transmite-nos informações erradas sobre se seremos felizes ou não.”. Quantas vezes não ouviu histórias em que, no pico de uma carreira profissional de sucesso, determinado individuo afasta-se e procura desenvolver uma atividade, pela qual sempre esteve apaixonado e na qual (por inúmeras razões), nunca foi programado para a desenvolver? Quantas vezes, na consulta de Psicologia, surgem casos de jovens e adultos deprimidos e profundamente infelizes, porque não conseguem dizer NÃO! À carreira, à familia, ao Chefe, aos Amigos…. Quantas?

Meus amigos, pela experiência que trago, durante estes 25 anos de atividade, e por algumas investigações de autores de renome que tenho estudado, posso concluir que essencialmente por uma razão: Por MEDO!

Sim pelo MEDO de cortar vinculos, pelo medo de não ser aceite, pelo medo do “julgamento dos outros”, pelas nossas Crenças Cognitivas, que nos levam a dar significados ás situações e às pessoas que podem distorcer a realidade, o nosso futuro, a nossa vida. Pela nossa história familiar, pela herança genética, pelos modelos parentais, pela escola, pelo meio profissional tendemos a ser programados: umas vezes com sucesso, outras nem por isso.

O nosso cérebro prega-nos algumas partidas, uma delas é conseguir apresentar-nos inumeras explicações válidas para não sairmos do padrão, para mantermos sempre tudo como está. A sociedade é cada vez mais rápida e esta nossa tendência para a Procrastinação pode não ser a melhor estratégia do mundo para a felicidade.

Ser Feliz não parece ter muitos segredos…parece ser importante a focalização em nós próprios, ouvindo o que temos para dizer sobre aquilo que nos rodeia, tentando reduzir o medo… não esquecendo que vivemos em sociedade, mas não tendo que ser necessariamente seu escravo!

Seja Feliz!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s