VIAGENS – DO OUTRO LADO DO MUNDO

Texto Pedro Conceição

 

Preâmbulo

Nesta rúbrica vamos levar o leitor da Setúbal Revista a viajar pelo mundo e introduzir as melhores ideias para as suas próximas férias. Serão doze sugestões por ano, que poderá adquirir na sua agência de viagens ou na Internet. Prepare a escova de dentes e venha daí connosco…

 

Londres

Em vias de se afastar definitivamente da união europeia, o Reino Unido passará a ser um destino previsivelmente menos acessível. Enquanto tal não se concretiza, recomendamos uma visita a Londres para uma “escapadinha” de quatro dias, aproveitando a “ponte” do 1 de Novembro. Falamos de uma cidade verdadeiramente vibrante e que não pode deixar de conhecer ou revisitar.

Instalada ao longo das margens do rio Tamisa (Thames), a grande Londres é uma metrópole milenar – a cidade de “Londinium”, como inicialmente se chamava, foi oficialmente estabelecida no ano 50 AC – actualmente com cerca de 14 milhões de habitantes e com uma história de protagonismo e grandeza que se pode sentir a cada esquina. Visivelmente marcada por um passado de guerra e glória, o objecto dos maiores e mais icónicos monumentos londrinos passa, muitas vezes, por enaltecer a contribuição britânica na resolução dos mais diversos conflitos bélicos e ideológicos do reino.

Os famosos autocarros turísticos “Hop On – Hop Off” – que existem em todas as grandes cidades mas que, no caso da chuvosa Londres será discutível a utilidade da ausência de cobertura no andar de cima – são uma excelente opção para se movimentar na cidade e conhecer o sentido histórico de cada um dos seus monumentos. Recomendamos a aquisição do bilhete de 72 horas (literalmente), que o levará aos principais pontos turísticos de Londres. Mas tenha em atenção aos horários porque o serviço dos “Hop On – Hop Off” termina relativamente cedo e não funciona durante a noite. A rede de metro (Underground) é uma das maiores do mundo e será certamente uma outra alternativa para chegar a qualquer lado a um custo controlado. Mas quase não sentirá que esteve em Londres se não fizer pelo menos um trajecto num dos tradicionais táxis pretos, que avisamos desde logo que serão uma desilusão garantida em termos de conforto e simpatia!

Considerada uma das “cidades globais”, Londres é uma das capitais internacionais da cultura, música, educação, moda, desporto, política, alta finança e comércio. Há quase de tudo em Londres, com excepção de Sol e temperaturas elevadas. É bem provável que ele, o Sol, não lhe ponha a vista em cima durante a sua estadia de Outubro… Os quatro dias não serão suficientes para ver tudo e terá que priorizar os seus interesses, a menos que tenha várias semanas livres e bolsos bem fundos para suportar o nível de vida londrino. Se nunca foi a Londres, há algumas coisas que não pode mesmo falhar, como tirar uma selfie com o Big Ben em pano de fundo, ou deliciar-se com a coreografia militar do render da guarda em Buckingham Palace. Patrioticamente obrigatória a foto ao lado do CR7 e, principalmente, ao lado do “nosso” setubalense José Mourinho, no museu de cera Madame Tussaud. E já que está numa onda nacional, aproveite para jantar num dos restaurantes da famosa multinacional de origem Portuguesa, “Nando’s”, onde sugerimos que fique numa das mesas em forma de ninho, que alguns têm.

Se puder, veja um musical londrino e deixe-se levar pela elevada qualidade artística. A portuguesa atriz/cantora Sofia Escobar actuou num musical em Londres pelo qual recebeu um galardão de Melhor Actriz de Teatro Musical em Inglaterra e foi nomeada para um galardão “Laurence Olivier”. Na música, estão sempre em cartaz as maiores bandas mundiais. Recomendamos especialmente uma visita ao mítico “Royal Albert Hall”, uma das mais conceituadas salas de espetáculos de Londres.

Mas não pode ir a Londres sem visitar a centenária Piccadilly Street,  onde encontrará lojas das melhores marcas internacionais. Possivelmente a mais cara e conhecida rua de Londres, foi originalmente chamada de “Portugal Street” (Rua de Portugal) em homenagem à portuguesa Catarina de Bragança (Catherine of Braganza), que casou com o rei Carlos II (Charles II) no século XVII. A rua ficou depois gradualmente famosa pelas suas lojas de chapéus da moda, os “Piccadill’s”. Ao longo dos anos, foi-se criando popularmente o hábito de lhe chamar “a rua dos Piccadill’s” até que o nome actual de “Piccaddily Street” foi adoptado oficialmente em finais do século XVIII. Do outro lado do Hyde Park, na Brompton Road, encontra o mítico Harrods que fará as delícias dos mais abastados. No andar de baixo vai encontrar uma zona de gastronomia de deixar água na boca, com iguarias originárias de todos os cantos do mundo. É um festim para todos os nossos sentidos, do paladar aos cheiros, num ambiente multicultural com muitas cores e texturas… Nos andares de cima, um distinto centro comercial com todas as marcas de topo e as mais recentes novidades da moda. Um “must do” para as senhoras!

Se gosta de futebol e conseguir agarrar um dispendioso e raro bilhete para um jogo da premier league, vai poder sentir a emoção e o ambiente único dos estádios britânicos. Este ano actuam cinco equipas londrinas na premier league (Arsenal, Chelsea, Crystal Palace, Tottenham Hotspur e West Ham United) pelo que será provável que, pelo menos, uma delas tenha jogo em casa no fim de semana. Um “must do” para os senhores!

Entre o tradicional e o moderno, Londres renovou-se para receber os Jogos Olímpicos e criou novas infraestruturas para o evento. Uma delas, inicialmente temporária, tornou-se rapidamente um símbolo da cidade e já foi dada como definitiva. Estamos a falar do “London Eye”, uma roda gigante que lhe permite ter uma panorâmica vertiginosa da cidade. Recomendamos a viagem nocturna que nos parece mais espetacular.

Poderíamos continuar a dar sugestões sobre o que fazer em Londres, quase infinitamente… Quando lá estamos sentimos estar no centro do mundo, onde (quase) tudo acontece e se decide. Só há mais dois ou três locais no mundo inteiro onde conseguimos ter esse sentimento de centralidade global. Este é, por isso mesmo, um dos destinos urbanos mais interessantes da actualidade e está já ali ao lado, com ofertas de voos bastante acessíveis. Se marcar com maior antecedência, será certamente mais dispendioso passar lá quatro dias do que a totalidade do custo da viagem de ida e volta. Aliás, todo o orçamento poderá ficar bem mais baixo, se optar por um hotel menos central e, principalmente, se reservar com maior antecedência.

 

Uma última sugestão, quando lá chegar não se esqueça de olhar no sentido contrário ao que costuma fazer por cá, porque como em muitas outras coisas, eles andam ao contrário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s